top of page

TFP e o MACHISMO


O conservadorismo mantem o machismo, o patriarcado e o sistema capitalista. Por isso, o tema de hoje é a emblemática e ultra-conservadora: Tradição, Família e Propriedade.


As entidades tipo TFP estão ativas no mundo e integram uma rede fundamentalista católica internacional de extrema direita mundial. Atualmente organizada e promovida pela ultra-direita dos Estados Unidos, esta rede fundamentalista católica não mede esforços para derrubar os governos democráticos, assim como eliminar ou derrubar aquele que se tornou seu maior inimigo: o Papa Francisco.


Como acabar com o machismo? Pois bem, não é possível acabar com o machismo sem entender aquilo que o sustenta.


Na semana passada falamos sobre o que é o machismo, e vimos que ele não é exclusividade dos homens. Vimos que são mães e avós que praticam a mutilação genital feminina nas sociedades onde essa prática hedionda existe. Vimos que este crime é praticado em nome de Deus para que a mulher conserve sua “pureza” e “castidade”. Vimos ainda que, mesmo que não assumida, essa mutilação é praticada para impedir que a mulher tenha prazer e ao mesmo tempo proporcionar maior prazer ao homem.



Não é possível erradicar o machismo sem identificar suas raízes profundas. A sociedade é machista, O machismo é estrutural, pois ele está entranhado nas fibras que constituem o tecido social da nossa civilização. Vimos que o machismo está visceralmente associado ao patriarcado e ao capitalismo, portanto, por ser estrutural não dá para mudar um componente sem mexer nos demais. Estes três elementos estruturantes da nossa sociedade têm um elemento comum: a expropriação. Expropriar significa “retirar de alguém a propriedade ou posse”. Essa expropriação se dá sobre a mulher, sobre a força de trabalho, sobre as chamadas "minorias".



Expropriar vêm do Latim EX-, “para fora”, mais PROPRIUS, “que é privado, de si mesmo” Traduzindo, o capitalismo, o patriarcado e o machismo fazem com que a balança pese de um lado só, dos homens, principalmente dos brancos e ricos. O proprietário do capital expropria a força de trabalho através do lucro, que significa “trabalho não pago”, ou “mais valia”.


O patriarcado não nasceu no Império Romano, nem com a religião judaico-cristã ou com o sistema capitalista, mas todos eles deixaram sua marca que, de tão profunda, ainda está vigente nos dias atuais. O patriarcado, representado pelo PATER FAMILIAE, está no topo da sociedade imperial. Pater significa "PAI", palavra que dá origem à Pátria, por isso ele, o "pai" é o "Cidadão" que vota e é votado, excluindo todos os demais, sobretudo as mulheres. Essa tradição vem de longa data e não será fácil nos livrarmos dela.




Machista é a sociedade que trata a mulher como escrava doméstica e propiedade do homem. Uma sociedade machista não hesita em mutilar meninas e meninos para manter o domínio patriarcal, sustentado pelo slogam DEUS, FAMÍLIA E PROPRIEDADE.



Não por acaso este tripé aparece nomenado a entidade que representa a "pérola" do conservadorismo: TRADIÇÃO, FAMÍLIA E PROPRIEDADE.


Plinio Corrêa de Oliveira fundou a TFP em 1960 como baluarte contra as influências “comunistas” na sociedade e na Igreja. Ele morreu em 1995, mas permanece sendo um totem poderoso entre os católicos tradicionalistas que defendem uma Igreja conservadora e uma monarquia hereditária.


No sistema patriarcal o homem é o legítimo representante de Deus na terra. É o único ser feito à imagem e semelhança de Deus; age em nome DELE; tem o pátrio poder sobre mulher e filhos e é o dono da propriedade, do rebanho, da mulher, dos filhos e da força de trabalho.



FAMÍLIA CÉLULA MATER DA SOCIEDADE é um slogan que supostamente valoriza a mulher. Ser “Rainha do Lar” é um eufemismo para atenuar sua real condição de "escrava doméstica" e propriedade do homem. É óbvio que a família é importante, que a presença de pai e mãe são fundamentais para o bem-estar e para a saúde mental de todos. Contudo, há muitas versões do que seja a "FAMÍLIA".


Quanto à propriedade, ela é privada, de uso particular do seu dono, que não exita em matar seja lá quem for para manter seu predomínio. A noção de propriedade privada está relacionada com a de Poder, sobretudo o poder masculino e branco.



O objetivo do conservadorismo é manter a tradição: o predomínio do homem sobre a mulher, do capital sobre o trabalho, do chefe sobre o subordinado, da posse dos bens de produção nas mãos de poucos. Ser conservador é defender a tradiçã, a família e a propriedade. Este tripé é mantido por homens e mulheres conservadores que defendem a supremacia masculinae desejam que, em nome da tradição, tudo permaneça como está.



wikimedia commons

A luta travada pelas mulheres inglesas e americanas pelo sufrágio feminino não foi fácil. Elas manifestaram-se vigorosamente no Hyde Park, em Londres, em junho de 1908, que ficou conhecido como o "domingo das mulheres".


Emmeline Pankhurst. Domínio público


No ano seguinte, em 1909, elas começaram a usar a greve de fome como forma de luta toda vez que eram presas. A polícia tratou de forçar a alimentação delas pelo nariz ou pela boca. Elas eram amarradas e quando a alimentação forçada era pela boca, a polícia usava ferros para mante-la aberta. Tudo isso a fim de evitar a morte dessas combatentes, o que causaria danos à imagem do parlamento junto à opinião pública.


No dia do seu julgamento, Emmeline disse:

"Não estamos aqui porque somos infratoras da lei, estamos aqui porque queremos mudá-la". As mulheres conseguiram aprovar a lei do sufrágio feminino apenas 10 anos depois, em 1918, com o fim da primeira Guerra Mundial.



https://www.scan.org.uk/education/suffrage/index.html


Diante da tenacidade das mulheres, os homens se sentiam ameaçados. Vejam esse meme: Sufragista em pé de guerra. Pulem nele, ele é apenas um homem. Os homens estavam com medo que as mulheres deixassem para eles o peso do trabalho doméstico e o cuidado dos filhos. Vejam isso:


Dia da eleição! www.amazon.fr



Vejam esse cara todo encolhidinho… morrendo de medo...



E esse outro, com medo de levar um pé no traseiro. É incrível como os memes fazem aflorar os sentimentos mais profundos e muitas vezes inconscientes. A luta pelo sufrágio feminino deve ter provocado uma catarse coletiva.



O que eu faria com uma sufragista? Isso! Vejam que a violência sempre se manifesta contra aqueles que lutam por mudanças.



“Se você possui uma esposa que resmunga, pegue uma dessas mordaças”, diz o meme. Enfim, Paz, diz o outro.





A conquista da lei do sufrágio feminino pelas inglesas em 1918 estimulou o movimento das sufragistas norte-americanas e a elas se juntaram ao que havia restado do movimento antiescravista da guerra da secessão, para reivindicar o direito de voto também para os negras e negros afro-americanos. Esses poucos exemplos dos memes daquela época deixam entrever que as mulheres estavam reivindicando apenas o direito de votar, mas os homens temiam que elas começassem a reivindicar outros direitos. Certamente eles eram conscientes do peso imposto à mulher e temiam que elas resolvessem ampliar a luta para se libertar do jugo imposto a elas pelo machismo.




A tendência do homem é ser conservador quando se trata das lutas por igualdade de direitos, mesmo dentro da esquerda. Por que? Simplesmente porque eles também padecem do medo atávico de ter que fazer o que as mulheres são obrigadas a fazerem, gostem ou não, estejam cansadas ou não. Uma parcela significativa da esquerda se opõe às lutas pela igualdade de direitos, afirmando que as pautas identitárias “atrapalham” a luta principal, que é o combate ao sistema capitalista.


Depois de constatar que o conservadorismo não é exclusividade nem dos homens, nem da direita, vamos dar uma olhada nas pautas ultra- conservadoras e veremos que elas permanecem as mesmas desde sempre, e não mudaram em nada as palavras de ordem defendidas nas últimas eleições.



https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/34445/golpe-de-64-marcha-da-familia-com-deus-pela-liberdade-completa-50-anos-saiba-quem-a-financiou-e-dirigiu



Observem as fotos da Marcha com Deus em março de 1968. Reparem que seus lemas e palavras de ordem continuam se repetindo desde então. Quanto ao conceito de DEUS, que integram os lemas: Deus, Pátria e Família ou Deus acima de tudo… Vemos que o Deus propagado pelos conservadores é feito à imagem e semelhança deles mesmos, a exemplo dos "Arautos do Evangelho".








Repetição, repetição, repetição... Décadas depois



Aos 24 anos, Plinio Corrêa se tornou o congressista mais jovem na história do Brasil. Ele criou a Liga Eleitoral Católica, criticou obstinadamente a CELAM, que é o Conselho Episcopal Latino-Americano criado na década de 1950, e em 1960 fundou a TFP. Com a morte de Plínio em 1995, dois grupos dentro da TFP começaram uma disputa judicial pelo controle da entidade. Digamos que um era conservador e o outro ultra-conservador, liderado por João Clá, que saiu vencedor. obtendo o direito de usar a marca TFP e manter o legado de Plínio. Contudo, João Clá preferiu atualizar o nome e os propósitos da TFP fundando nova entidade, Arautos do Evangelho.



Arautos do Evangelho coleciona mais de 40 denúncias no Ministério Público. É uma seita dentro da Igreja católica, comandada por homens ultra católicos de extrema direita, que construiu templos suntuosos em diversos estados, além de castelos para abrigar escolas de regime de internato para crianças e jovens, que são submetidos a um regime disciplinar de características medievais. Nesses internatos, os alunos são induzidos a rejeitar a própria família e obrigados a cultuar os fundadores da seita como se fossem divindades. Os uniformes possuem características medievais e a disciplina obedece rigoroso conjunto de regras comportamentais. Os alunos sofrem agressões físicas, verbais, assédio sexual, alienação parental, tortura, estupro e até homicídio. Parece um roteiro macabro de filme de terror, diz um artigo do site Intercept.



O site Metropole revela que o grupo costuma recrutar crianças encantando seus pais com a possibilidade dos filhos estudarem de graça em um castelo imponente, com princípios católicos e disciplina militar. Com pouco mais de 3 mil associados pagantes, que mantém cerca de 700 alunos, a associação cresceu nos últimos anos e hoje tem 15 colégios espalhados por várias cidades do país.



Além de terem que idolatrar a figura de Plínio Correa como se fosse um santo católico, os alunos dos Arautos do Evangelho também são obrigados a adorar o fundador João Clá, considerado um santo vivo.

O blog Metrópoles realizou uma reportagem bem completa e revelou que, ao ingressarem nas escolas, as crianças são obrigadas a se consagrarem como “escravas” do líder João Clá. São assustadoras as entrevistas reproduzidas na matéria. As redes de televisão fizeram várias reportagens





Os links dos artigos e programas de TV citados estão colocados na bibliografia. Não deixe de conferir.



Em 2017 o Papa Francisco determinou uma investigação, que comprovou as denúncias feitas à emntidade Arautos do Evangelho. Em 2019 o Vaticano determinou o fechamento dos colégios e a devolução das crianças e jovens às famílias. A reação dos Arautos foi imediata: “A profanação dentro do vaticano segue solta sem nenhum problema, enquanto as ordens religiosas sérias estão sendo perseguidas e fechadas.” vociferou o site CATOLICA-CONECT.



Até mesmo os grandes jornais conservadores denunciaram as ações políticas dos padres ultra-conservadores. A estratégia do presidente Jair Bolsonaro (PL) para atrair público nos atos deste 7 de Setembro ganhou o reforço de padres e grupos católicos ultraconservadores.



Desde 2010 as paróquias brasileiras que celebram a missa tridentina estão se multiplicando. “Esses jovens cresceram sob o papado de Bento 16, que trouxe valores conservadores para a Igreja”. Além dos Arautos, os padres ultra-conservadores estão ligados à entidades tais como Centro Dom Bosco - CDB, fundado no Rio de Janeiro em 2016 por um grupo de universitários católicos, que alcançou reconhecimento midiático através de ações judiciais contra o grupo humorístico Porta dos Fundos. O Centro Dom Bosco nasceu com o apoio de dom Antônio Augusto, o segundo em importância na arquidiocese do Rio de Janeiro.


Juntas, as associações ultra-conservadoras católicas formam um grupo batizado de Liga Cristo Rei, cujas células se espraiaram por 20 capitais e dezenas de cidades brasisleiras. A entidade já arrecadou mais de R$ 400 mil para a construção de um mosteiro beneditino na Região Serrana do Rio. A empreitada tem o apoio da diocese de Nova Friburgo, que já possui outro mosteiro da região, o Santa Cruz, conhecido por desafiar a autoridade do Vaticano e do papa Francisco. Bem, vocês estão percebendo que não existe apenas uma Igreja Católica. Existem várias.



Nos anos 60 e 70, fase de ascensão do catolicismo progressista, vicejaram os grupos da Renovação Carismática, movimento conservador que usou o termo “renovação” para se contrapor à renovação promovida pelo Concílio Vaticano II e pela Teologia da Libertação. Hoje, a TFP e os ultraconservadores que querem “recristianizar” o Brasil disputam o controle da Igreja com Francisco, acusando-o de Herege e Anticristo, tais como Frei Tiago, do Monte Carmelo e Padre Paulo Ricardo, o guru de Cassia Kiss. Tiago e |Paulo Ricardo são youtubers, com milhões de seguidores, são lideranças da direita ultra-conservadora no Brasil, seguidores de Olavo de Carvalho e apoiadores de Bolsonaro. Acho que já deu para entender qual é a pegada do conservadorismo e da Tradição, Família e Propriedade, mãe de todos os grupos conservadores brasileiros.


Se você gostou, deixe seu "gostei"!

Este texto foi levado ao ar no Canal Paz e Bem.


Bibliografia













50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page